Impermeabilização de fachadas

18 de março de 2011

Impermeabilização de Fachadas

A água da chuva, que pela ação do vento fica em contato com as paredes, penetra nas edificações através qualquer falha como trincas ou fissuras, assim como pelos poros das paredes e revestimentos, por absorção capilar. Adicionalmente, a água também pode ingressar pelas juntas existentes entre os caixilhos e a parede.

A deterioração das pinturas e revestimentos, surgimento de manchas e bolor, assim como a deterioração dos bens e qualidade de vida dos usuários, são as principais conseqüências da infiltração de água através das fachadas.

Paredes de alvenaria revestidas com argamassas de má qualidade que propiciam o aparecimento de trincas e fissuras, assim como o ingresso de água por absorção capilar através dos poros, normalmente apresentam os problemas citados acima. Adicionalmente, a utilização de pinturas permeáveis, que não cumprem o seu papel como proteção do revestimento, pioram a situação.

Como evitar a infiltração de água através das fachadas

A utilização de argamassas de boa qualidade, que atendam os requisitos das normas aplicáveis, assim como o emprego de aditivos impermeabilizantes no seu preparo, constituem um primeiro passo para evitar a infiltração de água através das fachadas (NBR 13749 “Revestimentos de paredes e tetos de argamassas inorgânicas – Especificação” e NBR 7200 “Revestimentos de paredes e tetos com argamassas – Materiais, preparo, aplicação e manutenção – procedimento”.

Os aditivos impermeabilizantes são produtos utilizados com a finalidade de diminuir a absorção de água por capilaridade de argamassas e concretos. Alguns deles possuem também, um efeito plastificante, sendo possível diminuir a quantidade de água utilizada no preparo das argamassas, diminuindo assim a retração e tendência à fissuração das mesmas.

Os aditivos impermeabilizantes devem ser utilizados na dosagem indicada pelo fabricante e, geralmente, adicionados na água de amassamento para melhor homogeneização.

Confira abaixo dicas de como aplicar argamassas de revestimento preparadas com aditivos impermeabilizantes

1- A superfície deverá estar limpa, não apresentar trincas devera estar isenta de sujeiras, ponta de ferro, partículas soltas, pedaços de madeira, desmoldantes, pinturas (tintas e vernizes), hidrorrepelentes, graxas, óleos e nata de cimento. Corrigir eventuais trincas, ninhos de concretagem (bicheiras), sendo que a superfície deverá estar áspera, se necessário, deverá ser feito um apicoamento manual, raspagem com escova de aço e lavagem com jato de água.

2- Aplique um chapisco prévio com argamassa de cimento e areia grossa e aguardar 24h para aplicação da argamassa aditivada com o aditivo impermeabilizante.

OBS: A solução com o aditivo impermeabilizante deve ser homogeneizada antes do início de cada aplicação. No preparo da argamassa só é permitido o uso de cimento Portland com areia natural, média, lavada, isenta de sais ou impurezas orgânicas. A água deve ser potável, não prepare argamassa mais do que o necessário para 30 a 45 minutos de trabalho.

3- Após 24 horas da aplicação do chapisco, aplique a argamassa de revestimento em duas a três camadas de a 1 a 1,5cm de espessura cada uma, com uma colher de pedreiro e pressionado contra o substrato.

Aplicar a segunda camada de argamassa após a anterior ter “puxado” (máximo 6 horas), se ultrapassar esse intervalo, será necessário um novo chapisco como ponte de aderência, evitar ao máximo as emendas e não deixá-las coincidir nas várias camadas.

A última camada de argamassa deverá ser desempenada com desempenadeira de madeira, nunca “alisar” ou “queimar” com desempenadeira de aço ou colher de pedreiro.

Dica:

Para evitar a retração da argamassa, realizar cura úmida por no mínimo 72 horas após o endurecimento da argamassa.

Impermeabilização de fachadas com hidrorepelentes

Se a fachada for de tijolo a vista ou revestida de pedra, podemos protegê-la com uma impregnação incolor e impermeabilizante, que protege as superfícies contra infiltrações causadas pela água das chuvas, evitando eflorescências, manchas e o escurecimento do rejuntamento, não apresenta brilho e não modifica a aparência das superfícies. Esse tipo de aplicação pode ser indicado para vários tipos de substratos:

  • Fachadas de concreto aparente
  • Fachadas de argamassa aparente
  • Tijolo aparente
  • Pedras naturais e artificiais
  • Blocos de concreto aparente

Limpe o substrato com hidrojateamento de alta pressão (1000 – 2000 psi) para remoção de quaisquer impurezas e contaminações. Detergentes não são recomendados, pois no caso de não serem completamente removidos podem afetar adversamente o efeito repelente do produto. Produtos ácidos ou alcalinos também não são recomendados, pois podem formar sais e, conseqüentemente, causar o aparecimento de eflorescências na superfície.

Observação:

Desplacamentos de concreto devem ser previamente reparados adequadamente. Fissuras, poros e bolhas na superfície, com abertura superior a 0,2mm, devem ser selados previamente.

2- O produto hidro-repelente deve ser aplicado no numero de demãos indicadas pelo fabricante com broxa, pincel ou pulverizador de baixa pressão tipo bomba costal. A primeira demão deve ser aplicada até a saturação da superfície. No caso de produtos a base de solvente, a segunda demão devera ser aplicada após a secagem da primeira (verifique os tempos entre as demãos na ficha técnica do fabricante) No caso de produtos a base de água, a aplicação das demãos devera ser realizada úmido sobre úmido.

Para maiores informações, entre em contato com a casa do impermeabilizante pelo site www.casadoimpermeabilizante.com.br, pelo e-mail: contato@casadoimpermeabilizante.com.br , pelo fone (31) 3411-6666 ou ainda diretamente em nossa loja na rua magnólia, 637 – caiçara, em bh/mg (av. Pedro ii
18av. Catalão > 2ª rua à direita).